quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Uma nota rápida sobre adaptação // A quick note about adaptation

Em uma terra que não é a sua, você se sente deslocado, desgastado e, por vezes, revoltado. Sim, esses foram sentimentos recorrentes em mim nas terras estrangeiras onde vivo atualmente.
Adaptar-se é a palavra de ordem. E é algo urgente, quando se vai passar muito tempo nessa nova terra. Posso dizer que demorei três meses para me adaptar em terras britânicas. A comida não me agradava, o jeito das pessoas, os itens vendidos no supermercado... a lista era grande! Só falava bem do transporte público! (risos)
Mas depois desse período, parece que a satisfação chegou. E, praticamente, quase (um grande quase) tudo passou a me agradar. O chá tradicional, a caminhada das pessoas pelo rio...
Mas por quê? O que mudou? Porque encontrei o meu jeito e aceitei o que é típico, o que é o diferente.
Passamos a viver bem quando aceitamos a situação e alteramos o que podemos mudar. Posso dizer que mudei a mim mesmo muito mais do que ao ambiente externo. E nisso está a beleza do novo. Nisso está a beleza do inusitado.
Abri a minha mente para o diferente e isso me fez muito bem.
Dessa forma, antes de viajar, antes mesmo de pensar em fazer as suas malas, lembre-se de abrir a sua mente.

... 

In a new place that it is not yours, you feel disjointed, outworn, and, sometimes, revolted. Yes, these were some of the feelings that I had in this new country that I am living now.
Adapt yourself is imperative.
And it is urgent when you are going to live for a long time at this new place. I can say that I took three months to fit in British lands. The food used to taste bad, the way people were used to annoy me, even the stuff sold in the supermarkets used to be of a weird organisation… The list was enormous! I only used to say good things about the public transport: awesome.
However, after this time, the satisfaction seemed to have arrived. And, basically, I am now fond of almost (a big almost, actually) everything here. The tea, the walking at the riverside, and so on…
But why is it? What have changed? I found my way here and accepted what is natural from here, accepted the different and quirky.
We live well when we accept the situation and when we help people to transform what we see that can improved. I can say that I have changed much more myself than others or things around me. And there is beauty when that happens. There is beauty in the new.
I opened my mind for the different and that made me feel really good.
Thus, before going to travel, before packing everything, remember to open your mind.         


Nenhum comentário: