sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

85

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor".
1 Coríntios 13:13

"Quando tudo acabar o que vai prevalecer é o Teu amor, o mais Puro Amor".
Ana Paula Valadão, CD "As fontes do Amor", faixa "O mais Puro Amor"

Já é 85. Muitos e muitos já se foram.
Sensação de festa acabando. Foi uma boa festa. Ficaram alguns apenas para terminar de arrumar pequenas coisas. Até mesmo cuidar de mim, que resolvi ficar até o final.
Pessoas passaram por mim todo esse tempo.
Algumas apenas passaram, outras se agarraram e ainda, a outras, me agarrei. As que passaram, somente fizeram isso. Percebi sua ausência em determinados momentos, mas nada que me doesse muito. Quem sabe poderíamos ter vivido mais momentos juntos?
Já as que se agarraram a mim, foi duro ver sua partida. Eram parte. Parte do meu chão, da minha caminhada. Fui perdendo aos poucos parte do meu ser à medida em que iam... Se iam...
As quais me agarrei, tentei com força segurá-las mais um pouco. Mas foram colhidas, como os demais. Se indo... Se levando... Me deixando... Doído, moído.
Meu corpo foi feito lágrimas... Hoje, eu aqui, aguardo ir também.
Ficar dói cada vez mais. Estou sereno, mas os brindes já acabaram e isso me incomoda. Sorrio de vez em quando, mas é das boas lembranças de tempos que não voltam mais. E da esperança que permanece, apesar de meu corpo não querer responder mais a ela.
Fico aqui, no aguardo do fim. Certo de que um novo início ainda se dará.

______
*Com esse pequeno texto, finalizo, mesmo que de maneira triste, meio pessimista, mas extremamente pensativa e bem mais otimista do que aparenta, a "série Eternidade". Outros textos, porventura, podem surgir ainda, claro, sob essa marca. Eu espero. Mas gosto de começar e terminar meus projetos. Esse chega ao fim! 

3 comentários:

monique disse...

Que coisa linda, Ronni!
Primeiro eu achei que poderia ser Jesus falando em 1ª pessoa,momentos antes da crucificação. Todavia, já no final do texto tive outra impressão. Acho que esse texto fala de algo que há muito venho pensando: esse 'fenômeno' que acontece na vida de qualquer um, de pessoas passarem por nossas vidas, deixarem suas marcas e irem embora...

Ronni disse...

Monique!
Fico muito feliz com a sua visita!
Sobre esse texto em específico, muita gente já fez inúmeras e variadas inferências sobre ele! Acredite!
No entanto, ele trata de coisas futuras. Ali, o eu-lírico (eu mesmo?!) está com 85 anos e para para analisar sua atual situação. Foram muitos que passaram, a vida é assim. Ele meio que se vê só e não aguenta esperar a hora de rever todas essas pessoas.
No mais, vc percebeu bem, esse fenômeno acontece com todos, independente da idade. E é porque todos estamos sujeitos a isso, que as pessoas se identificam com ele.
Uma curiosidade sobre o texto é que ele também é minha 85ª postagem! Fiz sem a intenção, sem perceber! Foi uma agradável surpresa perceber a coincidência, que eu considero quase improvável!
Vem mais, Mel. Será sempre bem-vinda! =)

Antonio Batalha disse...

Olá chamo-me Antonio Batalha. Vim conhecer seu blog, dar-lhe os parabéns. Pois é muito bom, e gostaria de lhe deixar um convite: Ficava muito grato se fizesse parte dos meus amigos virtuais na Verdade que Liberta. Obrigado e um resto de boa semana.