sábado, 24 de setembro de 2011

Sobre a Escrita

Quero que ela exista. Flua. Seja natural.
Que me leve. Envolva-me. Tire-me o sono.
Em minha língua, em várias línguas.
Que valha a pena.
Desperte interesse. Traga saudade. Expurgue os males.
Que ela igualmente o leve.
Nos leve.
L'écriture lève* nous.
Elle lève vous.

*Tome cuidado, leitor, o verbo "lever" em francês quer dizer levantar. 




sábado, 3 de setembro de 2011

Para o Filho Pródigo

Não sei por que você se foi.
Imagino, apenas. O aconchego do lar sempre me foi tão mais chamativo.
Os prazeres sempre me chamam também, sabe. Acho que você não resistiu. Eu acho, vou frisar.
O chamado é de independência. Encontrar seu próprio caminho. Divertir-se sem dar satisfação a ninguém.
É bom, admito. Deve ser. Muitos optam por esse caminho.
Papai o deixou ir. Você pôde escolher.
Sei também que permitiu, mas que continua querendo a sua volta. Ele não ignora o fato de que certas coisas têm de ser perdidas para que outras possam ser encontradas.
Quando tudo disser não. Volte!
Porque é certo que será bem-vindo.
As coisas de casa lhe serão melhor percebidas e apreciadas.
E as do mundo... Ah, mas essas, você e o Pai nem vão se lembrar mais. 
Nosso Pai perdoa e, com certeza, vai querer acompanhar seus passos dali para frente.

*De alguém que resolveu ficar.