quinta-feira, 21 de abril de 2011

Série - Eternidade

Por vezes, começamos projetos e não terminamos. Não quero que essa série seja algo assim. Até porque seu título não me permitiria isso. A Eternidade é algo que me atrai e em outros textos já a mencionei, mesmo que indiretamente. Nessa série, sou mais direto e falo sobre a minha maneira de vê-la, o que inclui os momentos antes de sua chegada, no qual estamos vivendo. Você pode discordar de mim, mas se permita embarcar na maneira como a vejo e garanto a você, caro leitor, que vai ser, pelo menos, uma viagem interessante!

Dois textos da série seguem a seguir. Rápidos, bem diferentes de como a Eternidade se dará!



Batalha

Seco.

Coração distante.

Vida vazia.

Emoção fria.

Caminhar sem sentido.

Inverno, em seu auge, quando a beleza se esconde.

Sequidão. Indiferença.

Por mais que os olhos assim vejam, é sinal de que o bem triunfará.

Quando tudo parecer dor, erga os olhos, una as mãos e faça uma oração, porque a mudança está chegando.

O máximo de aflição chegou.

E o Grande Guerreiro vem.

A Eternidade se fará presente.



Cântico

Quero cantar pelas ruas a beleza.

Sem restrição viver o que nasci para ser.

Cheirar e tocar o AMOR.

Dançar conforme a melodia da Eternidade.

Um vislumbre de Sua Glória agora,

E muda a minha vida.

Sem amarras. Livre sou.

Meu cálice transborda.