segunda-feira, 19 de julho de 2010

POR MAIS DEZ ANOS!

Eu vim de dias muito cansativos. Estava exausto.
Voar novamente não era uma possibilidade. Voltar a Nárnia? Ah, não! Algo difícil aos meus olhos e pensamentos.
A terra estava seca e árida. A criatividade e a inspiração me fugiam. O tempo corria sem dó. E eu, sem pensar.
Apesar de estável, o semestre foi pesado. Manter as coisas estáveis, boa parte do tempo, exige muita energia. E estava dedicado em doá-la para tudo caminhar nos conformes...
Conseqüência: cansaço. Mas não sem uma pinta de satisfação. Triunfo. Mas sem inspiração. Contraditório, eu sei.
Havia planejado uma viagem. Estava me preparando para ela há alguns meses. Pensar nela me trazia alguma motivação, confesso. Pensar em rever os amigos tão queridos era renovador.
No entanto, surpreendi-me.
Lá voei e voltei para Nárnia.
Tudo num período, para mim, muito curto de uma semana!
Tudo junto com meus amigos.
Caminhei com eles por lugares lindos e inspiradores. Minh’alma canta com essa renovação.
Foram dez anos que se passaram e foram celebrados. Serão dez que foram projetados. Durante uma semana.
Um movimento que faz as pessoas experimentarem tantas coisas boas deve ser relembrado e reforçado. Estávamos lá para isso.
O Pão dos Céus e a Água vinham frescos para nós toda manhã! Todo dia era dia de banquete. Era dia de celebração.
Houveram momentos de desafios, sim. Planejar exige isso. Mas eles não nos intimidaram. Encaramos-lhes como reais e os respeitamos, todavia, lembramo-nos de quem é nosso Capitão. Nosso Aslan! Sabemos que nosso General, nosso Abba Pai, guarda o melhor para nós. E é nEle que temos de confiar nosso futuro. Perceber isso tira o fardo de nossas costas!
Voei sobre terras passadas e recebi muito delas. Constatei o quanto das sementes nelas plantadas geram frutos hoje. Quanta dádiva!
Explicar em palavras o que vivi soa irreal, mas asseguro-lhes de que foi tudo tão palpável e bom que a escrita não consegue descrever da maneira apropriada.
Gostaria de ser mais claro nos meus relatos desses passeios. Porém a subjetividade não me abandona.
De tudo:
Foi muito bom. Queria mais. Ficar lá.
Mas coloquei os pés no chão novamente para continuar a semear e proporcionar momentos semelhantes a outras pessoas.
Por mais dez anos, lutaremos. Por mais dez anos, sonharemos. Por mais dez anos, semearemos.
Uma só vida. Uma só Verdade. Um só Senhor.


Foto oficial do evento

*Relato pessoal do Congresso Nacional da Aliança Bíblica Universitária do Brasil, realizado entre os dias 11 a 17 de julho de 2010. Nele pensamos a década que passou e a que virá.
**Caso não tenha compreendido as metáforas de vôo e Nárnia, acesse os textos: -Ensaio sobre um vôo e Quando se relacionar traz aprendizagem - Relato de uma caminhada
***Para mais informações sobre a ABUB, clique: www.abub.org.br

sábado, 17 de julho de 2010

Série Curtos

Ressurreição

Não há ressurreição sem CRUZ.
Tenho de morrer para mim mesmo.
Matar meus desejos ruins.
E não mais viverei eu,
mas sim Cristo em mim.
(Base: Colossenses 3. 1-17)

14/07/2010

Mudança

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA AMPLIAR^

*Escrito durante a preleção do dia 14/07 de Valdir Steuernagel para o Congresso Nacional da Aliança Bíblica Universitária, realizado durante os dias 11 a 17 de julho de 2010.
**Desenho de fundo feito pela grande amiga Rebeca. Foi me dado de presente também durante o CN 2010.