sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Mundo sem Fronteiras

"Se eu encontro em mim um desejo que nenhuma experiência neste mundo pode satisfazer, a explicação mais provável é que eu fui feito para outro mundo."
(C. S. Lewis)

Imagino um mundo sem divisões. Um mundo onde o tempo flui, somente isso. Nada é compartimentalizado. Não existem países, raças ou horas.
Tudo é um. Uma grande terra, um grande infinito de pessoas e tempo...
O ano não "vira" e quando penso que quero ir a tal país, contento-me em saber que já estou nele. É tudo um grande espaço.
Não há hierarquias. Somos iguais, por mais que sejamos diferentes.
Nesse mundo, imagino também uma grande roda. Só por querer fazê-la mesmo. Não é necessário ser um feriado especial para se festejar, brincar ou cantar.
Não sou recriminado por sorrir e nem por querer dançar conforme a música do meu coração.
Quando ando não sou questionado para aonde quero ir. As pessoas todas acenam e algumas até me acompanham, porque sabem que todo lugar é casa. Sempre acolhido. Nunca recusado. Livre para ser eu mesmo.
Lá não existe desconfiança, e violência é uma palavra inexistente.
Indiferença e injustiça nunca ninguém nem se quer passou perto.
Um mundo bonito, sabe. Com pés de fruta preparados para ter meninos dependurados neles a todo momento! Tem lago, pato no lago e toda sorte de coisas bonitas que conhecemos.
Acho que muita gente já imaginou esse lugar.
Um mundo sem fronteiras. "Liberdade" seria um bom nome para ele.
É pr'a lá que anseio ir. É lá que procurarei por você.



.Pensando no ano que se vai e em como ele poderia ser sem fronteiras.
.Grato por tudo o que vivi nele! Obrigado, Deus!
.Um ótimo Ano Novo pra tod@s! E se ainda não podemos ter um mundo sem fronteiras, desejo um coração com menos barreiras para todos nós em 2011.



2 anos e 1 dia!

Feliz Aniversário //Happy Birthday // С Днем Рождения // Sretan rođendan // 생일 축하 // 生日快樂 // Grattis på födelsedagen // Joyeux anniversaire

É o que talvez poderia ouvir de alguns dos visitantes que recebi nos últimos 6 meses. Eles são brasileiros, claro; norte americanos; portugueses; russos; canadenses; croatas; chineses; alemães; sul coreanos; noruegueses; suecos; dinarmaqueses e franceses.
O fato é que escrevo e publico para que outros possam ler, mesmo. Não poderia ser hipócrita e não agradecer a todos, seja de qual nacionalidade for, por passarem aqui, entendendo ou não minhas palavras, e pelo menos sentirem meu blog. Quero que as pessoas compartilhem de minha essência contida nas minhas letras, nas minhas lágrimas e risos eternizados em textos.
Ontem, ele fez aniversário e reafirmo o compromisso de continuar publicando o que sou e o que gostaria de dizer. São 2 anos e 1 dia de sinceridade e observância, já que muitas vezes me inspiro em outras pessoas para escrever.
O dia a dia me encanta e é sempre minha maior inspiração. A flor que floresce, o amor paternal, a amizade são todos dignos de notas e mais notas... Produzir um texto é como um pequeno nascimento e o celebro sempre que acontece. E um filho mostramos orgulhosos para outras pessoas, daí mais um porquê da existência do blog.
Quero cultivar meus visitantes. Quero que outros sejam cultivados por ele.
Meu agradecimento será sempre minha bandeira. Meu empenho em escrever estará sempre entre minhas prioridades. E dedicar minha vida a fazer o bem e a glorifcar a Deus também permeará sempre meus textos!

A todos,
Muito obrigado // Thank you // Большое спасибо // Hvala vam puno // 非常感謝你 // Vielen Dank // 정말 감사합니다 // Tusen takk // Tack så mycket // Tak en masse // Merci beaucoup





sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Natal

O natal, às vezes, tem cara de solidão. De desprivilégio. De não querer ver ninguém.
Mas aprendi que ele é bem mais do que isso.
Natal é acolhimento. Alegria. Amizade. Família. Comprometimento.
Sim, comprometimento. E é o que o descreve melhor. É essa definição que mais me incentiva a lhe dizer, caro amigo-leitor, que o natal é muito mais.
É de um amor que alcança os inalcançáveis.
É de uma beleza sem precedentes. Lindo por fora. Lindo por dentro.
Ele é, e é por isso que existe essa data, Jesus.
E, bem, Jesus, igualmente, é natal, o que quer dizer todas as boas qualidades que eu disse acima.
Na minha humanidade, por vezes, não enxergo como e o quanto a data é especial. Mas, meu amigo Jesus me faz lembrar o que a data, realmente, é: a comemoração de Seu nascimento.
Daí, comemorar aniversário é assim, né, com muita alegria, amizade, fidelidade, amor, lembranças de tudo que já vivemos com o aniversariante.
'_ Jesus, que possamos caminhar mais contigo e possamos agora, nessa data, regozijarmo-nos com tudo que já vivemos juntos.
Seu comprometimento me inspira e me faz querer viver sempre ao Seu lado'.

É isso, Feliz Natal!

Do amigo,

Ronni Anderson



.Um pouco antes da noite de natal.




Tirei o Relógio

Sabe, tirei o relógio.
Pra mim o tempo tem que passar normal.
Assim. Sem pressa. Na sua própria marcação.
O relógio me prende, me espreme.
Em algum momento terei de colocá-lo de novo, mas aí muitos tempos já terão passado.
Minha teoria, e agora você entenderá a afirmação acima, é de que há infinitos dentro de infinitos. O tempo se encaixa nesse conceito.
Tirar meu marcador pessoal de infinito do pulso é me jogar sem amarras nesse imenso mar de desobrigações e simplicidade.
Resolvi apenas ver a vida passar, dessa vez.
Sou levado por ela, eu sei.
Ela e o tempo são amigos de longa data.
Infinito atrai infinito e, por isso, igualmente, também sou atraído por eles.
Vida e Tempo entrelaçados. Sou parte vida, parte tempo. Não há como não ser por eles carregado.
Tirei o relógio, porque quero vê-los, vida e tempo, naturais, como devem ser.
Vida e Tempo amigos. E, também, meus amigos.
Levem-me com vocês, porque, como devem ser, eu os aceitei.




.Durante minhas férias, no dia 24/12/2010.
.Carpe diem

sábado, 4 de dezembro de 2010

Antes que Novembro Acabe

Ela não sabia ao certo se devia ou não falar sobre o assunto com alguém. Ana tinha medo de ser censurada.
Todavia, pensar ela podia:
"Novembro foi um mês chuvoso. Cheio de tempestades.
E as chuvas trouxeram com elas muita destruição. Foi ponte caindo, casebre desabando, gente chorando."
Angustiada ela ficou todo esse tempo.
Mas mais do que isso, ela ficou ensimesmada:
"Como algo aparentemente ruim pode trazer coisas boas também?"
Sem a chuva, ela não teria visto aquela bela flor ontem...
Os campos nao estariam tão verdinhos e ela não sentiria aquele gostoso cheirinho de terra molhada.
"-Quanto paradoxo, meu Deus!"

E tudo isso ela ponderou antes que novembro acabasse...

...
(Escrito em 29/11/2010, num momento, provavelmente chuvoso, em que não deveria estar escrevendo.)

sábado, 20 de novembro de 2010

Análise Adiantada

Por mais que não queira, o ano está acabando.
E serão dois anos. Dois anos de nova fase. Dois anos.
Dois anos nos quais abri meus olhos e não vi um ventilador de teto a me espreitar.
Dois anos em que não fui acordado pela voz da minha mãe.
[Em que me tornei "semi" independente]
Dois anos que se passaram e levaram meus dois, não tão novos, mais estimados livros de cabeceira.
Dois anos que me forçam a prosseguir e a descobrir o meu "jeito".
Não sem dor, não sem resistência.
Não sem bons momentos, não sem risadas.
Dois anos que me fazem querer adotar novas devocionais (mas também não sem querer que as antigas não tivessem acabado).
Dois que logo começarão três.
Três em que quero ser mais.
Três em que não quero esquecer o que se passou, para aprender e me recordar com alegria no coração!
Três que saúdo com cordas vocais mais maduras de uma voz agora mais experiente de tanto falar e cantar em novos ares.
Estou na linha do tempo. Não posso pará-la.
Canto ao novo tempo.
Canto ao novo ano.
Não fiz tudo o que queria.
Mas ainda estou na estrada.
Nova melodia está a se formar:
Não posso fazer nada a não ser dançar conforme o novo SOM.
Cumprimento-o.
Deixo-me envolver.
Dois vira três para, tudo de novo, novo ser!

(Dia 12/11/2010, às 22:02h)


-Minha pequena análise do ano ainda inacabado de 2010.
-Ao som de "Orphans, Kingdoms", "Who are We Fooling", "Ice on her lashes", "Coachella", "Jack Kerouac", "Sailboats" e "Crows and Locuts". Ciente de que essas pertencem ao ano três, apesar de terem surgido e me movido no dois. Thanks, Brooke Fraser.
-Bem-vindo, 2011!

DESABAFO

Por que as coisas têm de passar?
A transitoriedade da vida me incomoda. Muito.
Não quero que uma boa amizade seja interrompida.
Não quero que o momento bom se vá.
Não quero ter que me separar!
Isso dói.
E por mais que eu aprenda com isso e a mudança traga boas coisas (que, consequentemente, também passarão): ainda continua a doer!

(Dia 15/11/2010, às 21:50h. Ao som de "Orphans, Kingdoms" e pensando nos que já se foram ou estão indo...)

Curtos

Lágrimas (2)

As lágrimas (me) rolam ao me lembrar de você.
(me) envolvem.
(me) lavam.
(me) acalentam por não haver outra opção.

(Dia 15/11/2010, às 21:54h)

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Prayer

Who am I?
I'm nothing I know
My mind is dirty
My hands touch where they should not
Who I am? I ask myself: who am I?
I cannot judge no one. I cannot say to anyone who he is.
'Cause I'm the little one. Probably, the most sinner.
Where should I go?
I'm tied. I need freedom.
I need to be healed like you, my neighboor.
Restored. Changed.
Just to be as my Father is.
He tells me who I really am.
I'm a poor needing bread.
I'm a blind who need to see.
I'm that one whose dirty mind need to be clean.
Come and hold me...
Come... You and I will walk together...
Father, our Father...

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Caminhada

Um ao outro ajudou.
Ajudou não por obrigação.
Mas porque o amor se materializou em atos.
Lado a lado. Um pelo outro lutou. Apoiou. Sustentou.
Amigos. Mais do que isso, irmãos.
De mãos dadas, hasteando sua bandeira.
Jeová-nissi, a sua bandeira, a sua vitória, o seu estandarte.

Clique na figura para ampliar
Imagem cedida gentilmente por Liz Valente: http://paisageminterna.blogspot.com

domingo, 22 de agosto de 2010

Vovó Arminda

Quem é essa de sorriso feliz?
Quem é essa que de alegre o seu riso muda o ambiente?
Quem é essa da risada mais gostosa que já ouvi?
Ama dançar, me arrastar pro seu forró!
"Músicas pra cima" são com ela mesmo!
Ama beijar. Mas, ah, quantos beijos!
É só chegar e se preparar para ser beijado.
Arminda também é sinônimo de força!
Olhar penetrante! (Os mais lindos olhos claros que já vi! Ah, lindos olhos!)
Pronta sempre a acolher os netos e preparar de suas maravilhosas coxinhas.
Uma panelinha de arroz se multiplica e todos comem dela até se fartar. (Sempre me pergunto como é possível!)
E, puxa, como cozinha bem, minha vó!
...
Hoje, vó, vovó, você deixa saudades.
Mas é assim que quero me lembrar de você.
Os bons momentos vividos jamais esquecer.
Te amo.
Te amamos.
Saudades grandes.
Saudade de chegar e também beijá-la.
Rir e me divertir com você.

Do seu neto,
Ronninho...

________
Porque ela vai fazer muita falta. E, hoje, dia 22/08/2010, nos deixa e passa para a eternidade. No mês em que seu grande amor, meu avô, também se foi.
Em homenagem a minha vovó Arminda.
Muita saudade!


terça-feira, 17 de agosto de 2010

Curtos

Declaraçao de AMOR!

Eu amo meu pai e minha mãe.
Eu amo minha irmã e meu irmão.
E isso é o suficiente.

O amor nos une.
Nos faz enfrentar qualquer situação.
É o bastante.
Eu os amo.
Nós nos amamos.
E isso nos basta.

14/08/2010

PAI

Ele estava lá.
Vendo-me crescer.
Bons momentos.

Cuidou de mim!
Ensinou-me a andar.
Permitiu-me brincar.
Deixou-me voar e sonhar.
Sempre bons momentos!

Sim, ele estava lá nas horas de dor e doença.
Comigo ficou!
Ensinou-me a amar a Deus.
Um exemplo, um referencial.
Meu pai, meu amigo especial.

E sei que ainda estará.
Bons momentos comigo viverá!

14/08/2010

segunda-feira, 19 de julho de 2010

POR MAIS DEZ ANOS!

Eu vim de dias muito cansativos. Estava exausto.
Voar novamente não era uma possibilidade. Voltar a Nárnia? Ah, não! Algo difícil aos meus olhos e pensamentos.
A terra estava seca e árida. A criatividade e a inspiração me fugiam. O tempo corria sem dó. E eu, sem pensar.
Apesar de estável, o semestre foi pesado. Manter as coisas estáveis, boa parte do tempo, exige muita energia. E estava dedicado em doá-la para tudo caminhar nos conformes...
Conseqüência: cansaço. Mas não sem uma pinta de satisfação. Triunfo. Mas sem inspiração. Contraditório, eu sei.
Havia planejado uma viagem. Estava me preparando para ela há alguns meses. Pensar nela me trazia alguma motivação, confesso. Pensar em rever os amigos tão queridos era renovador.
No entanto, surpreendi-me.
Lá voei e voltei para Nárnia.
Tudo num período, para mim, muito curto de uma semana!
Tudo junto com meus amigos.
Caminhei com eles por lugares lindos e inspiradores. Minh’alma canta com essa renovação.
Foram dez anos que se passaram e foram celebrados. Serão dez que foram projetados. Durante uma semana.
Um movimento que faz as pessoas experimentarem tantas coisas boas deve ser relembrado e reforçado. Estávamos lá para isso.
O Pão dos Céus e a Água vinham frescos para nós toda manhã! Todo dia era dia de banquete. Era dia de celebração.
Houveram momentos de desafios, sim. Planejar exige isso. Mas eles não nos intimidaram. Encaramos-lhes como reais e os respeitamos, todavia, lembramo-nos de quem é nosso Capitão. Nosso Aslan! Sabemos que nosso General, nosso Abba Pai, guarda o melhor para nós. E é nEle que temos de confiar nosso futuro. Perceber isso tira o fardo de nossas costas!
Voei sobre terras passadas e recebi muito delas. Constatei o quanto das sementes nelas plantadas geram frutos hoje. Quanta dádiva!
Explicar em palavras o que vivi soa irreal, mas asseguro-lhes de que foi tudo tão palpável e bom que a escrita não consegue descrever da maneira apropriada.
Gostaria de ser mais claro nos meus relatos desses passeios. Porém a subjetividade não me abandona.
De tudo:
Foi muito bom. Queria mais. Ficar lá.
Mas coloquei os pés no chão novamente para continuar a semear e proporcionar momentos semelhantes a outras pessoas.
Por mais dez anos, lutaremos. Por mais dez anos, sonharemos. Por mais dez anos, semearemos.
Uma só vida. Uma só Verdade. Um só Senhor.


Foto oficial do evento

*Relato pessoal do Congresso Nacional da Aliança Bíblica Universitária do Brasil, realizado entre os dias 11 a 17 de julho de 2010. Nele pensamos a década que passou e a que virá.
**Caso não tenha compreendido as metáforas de vôo e Nárnia, acesse os textos: -Ensaio sobre um vôo e Quando se relacionar traz aprendizagem - Relato de uma caminhada
***Para mais informações sobre a ABUB, clique: www.abub.org.br

sábado, 17 de julho de 2010

Série Curtos

Ressurreição

Não há ressurreição sem CRUZ.
Tenho de morrer para mim mesmo.
Matar meus desejos ruins.
E não mais viverei eu,
mas sim Cristo em mim.
(Base: Colossenses 3. 1-17)

14/07/2010

Mudança

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA AMPLIAR^

*Escrito durante a preleção do dia 14/07 de Valdir Steuernagel para o Congresso Nacional da Aliança Bíblica Universitária, realizado durante os dias 11 a 17 de julho de 2010.
**Desenho de fundo feito pela grande amiga Rebeca. Foi me dado de presente também durante o CN 2010.


sábado, 12 de junho de 2010

Série Curtos

Onze Minutos
Tempo precioso, como medi-lo?
Quem o medirá?
Conversar com alguém distante, que você ama, por onze minutos não tem valor.
Valeu por eternidades de conversas fúteis ou inúteis.
Te amo, meu irmão.
Foi assim que o telefonema acabou.

(Escrito em 11/06/2010)

World Land

It is bigger than myself.
There are lots of possibilities.
I dream and it can be accomplished.
It sounds like a better way of life.
But sometimes it takes my time.
I waste my life running behind the wind.
"What is not eternal, is eternally useless".
I dream...
It is good...
It is part of my new fase of life.
I wanna do. But I wanna also be.
Do better things.
And be something for someone.
Maybe change this "world".
Perhaps change this "land".



(Escrito em 11/06/2010)

domingo, 6 de junho de 2010

Respiração

Deus soprou nas narinas de Adão e a VIDA começou...
Paro por alguns instantes para perceber minha respiração.
...
Lembro-me de mais algumas:
A forte e pesada da mãe!
A intermitente da irmã...
A imperceptível do pai...
A estrondosa, a noite, do irmão...
A entrecortada e cansada do amigo...
...
Senti-las, percebê-las me faz bem.
Estão perto o suficiente...
Mostra vida e, em todos esses casos, vida em abundância.
Respirar é sinal de vida!
O sopro que transforma minha percepção e me livra de medos...

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Curtos

Socorro
O socorro vem.
Antes do que esperávamos.
Ou em um momento que não esperávamos!
Há esperança!
Há socorro!
Aguente mais um pouco, porque o socorro vem!
O livramento sempre vem.
Nada é por acaso. Esteja disposto a aprender e a crescer.
Ronni
29/04/2010
20:20h

Infeccioso

A dor dos rejeitados quem a pode mensurar?
Já foi excluído antes?
Que dor! Quanta dor! E quando choro!

Querer ficar perto...
E as pessoas não o querem por perto.
Querer um abraço...
E não recebê-lo.
Coração em frangalhos.

Ninguém querer saber de você.
Ninguém se importar com o que está sentindo.
Olhares de desprezo...
Olhares de pena... (poucos e sem ação!)

Caminhar sozinho dói.
Dói andar sozinho.

A Esperança e o Alento está no olhar compassivo e ativo d'Aquele que sofreu e que, igualmente, foi rejeitado.
NEle não havia beleza alguma que nos agradasse.
Ele foi humilhado.
Ele foi rejeitado.
Não reclamou, mas a outros abraçou.

Abraçou os doentes.
Abraçou os feridos de coração.
Abraçou aqueles que ninguém mais acolhia.

Deixo-me ser abraçado por Ele.
E vejo minha dor e solidão irem embora.
Deixo-me ser salvo e resgatado por Jesus.
Por Aquele que me amou primeiro.
E passo também a abraçar outros...
Passo a levar outros, melhor!, ao Maior abraço de acolhimento, que nem se quisesse poderia dar, porque é insubstituível de tanto amor, consolo, cura e acolhimento.

Maranata!
Hosana!
Ronni Anderson G. da Silva
29/04/2010
20:10h


Curtos

Lágrimas
Molho a folha de papel pela saudade existente.
Choro pelos que me são ausentes.
O abraço apertado quando chorei,
O olhar compreensivo quando precisei. E, hoje, não encontrei.
Chorar lava a alma.
Mostra que sou humano.
20/03/2010, às 21:52h

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Série- "Curtos"

Os Dias
Tem dias que demoram a nascer
Tem dias que esquecem de morrer
Queremos enterrar alguns
Ou mesmo não querer saber de nenhum

Vem e vai...
Os dias se vão.
Vão e não voltam mais.
O importante é vivê-los independente do que o tempo nos faz.

Ronni - 16/04/2010 ...durante uma aula de bioenergética, quando o dia estava nublado e frio; mas que, mais tarde, de repente, resolveu se abrir num sorriso de luz e calor!

sexta-feira, 19 de março de 2010

A visão do futuro sobre o meu passado


Os sinos da Igreja bem próxima de onde eu morava, quando eu ainda estava na universidade, não me deixavam esquecer as horas.
Nossa, como eu reclamava disso!
Hoje, percebo que, talvez, Deus, em Sua Infinita Sabedoria, estivesse respondendo uma das minhas orações recorrentes que costumava fazer naquela época: - Senhor, ensina-me a contar os meus dias!
Os sinos, de certa forma, chamavam-me a uma vida de maior devoção, se não, pelo menos, convidavam-me a parar um pouco e refletir!
Revirando minhas coisas, achei dois papeizinhos de um dia muito corrido... Até gravei a data atrás deles.
Um tinha a hora de uma prova oral para monitoria de biologia que deveria ter ido fazer e não fui; o outro com o número de chamada de um livro de cálculo II (receio meu naquela época...), o qual peguei às pressas na biblioteca para não perder o ônibus e chegar em casa o quanto antes!
Puxa, como a vida era corrida! (E como é impressionante que ainda tenha esses papeizinhos!)
Nesses meus dias de maturidade, não sei se o tempo tem me 'corrido' tanto, mas parece que ele não é tão tirano mais sobre mim. É provável que os sinos tenham tido, sim, algum efeito sobre mim, e o tempo tenha deixado de ser tão mandão...
Começo a querer me aposentar e sinto que ele inicia seu desaceleramento completo.
Será bom um tempo final de contemplação e calmaria. Mas gostaria que, já naquela época de universitário, eu tivesse tido mais disso.
-Ah, Senhor, ensina-me a contar o RESTANTE dos meus dias!

Ronni Anderson
18/03/2010

Desligamento

Como é difícil me desligar dos ruídos do mundo.
Os problemas, as situações da vida não me deixam, em meus pensamentos.
Ouvia em algumas canções que deveria silenciar meu coração e me "ligar" no que é MAIOR do que eu.
Confesso que isso não costumava ser um problema para mim.
Mas, hoje, senti o peso das músicas.
Elas se fizeram verdade para/em mim.
Cada vez mais está mais difícil me desligar.

MAIS LIVRE,
MAIS SANTO,
MAIS ALTO, MAIS ALTO...
MAIS PERTO DE TI! (diz outra canção)

Desligar, por quê?
Porque mais livre e mais santo (separado) quero ser...
Uma antiga oração já me falava isso.
Habacuque inspirado me deu uma ajuda.
E, sim, profeta menor, Deus me dá pés como os dá corça e me faz andar altaneiramente.
Acima dos problemas...
Acima das decepções...
Acimas das desiluções...
E, assim, posso me desligar e ouvir a única VOZ que, realmente, interessa! E ,no fim, a única que realmente prevalecerá e eternamente guiará.

(Escrito em 09/03/2010)

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Onde tudo é tão especial 2!

Ei, só mais um instante!
...Está certo! Sei que não posso adiar.
...

Foram mais de dois meses de férias. E estou quase de partida, de novo!
(ver primeiro “Onde Tudo é tão especial”)
O sentimento não é o mesmo, claro...
Agora, sinto-me encorajado. Destemido, eu diria. Parece que sei o que me espera e já não existe aquela sensação de o-que-será-do-amanhã-sem-minha-casa-e-família...
Puxa! Quero até ir-logo!
Rever meus amigos que agora também lá estão...
Sabe, percebi que a chuva que aqui caiu no primeiro texto também cai lá... E me nina, às vezes. Fui embalado por ela, algumas vezes, no decorrer do ano. Seu som sempre me dá inspiração.
Paro para me avaliar quando a ouço.
E, nos últimos tempos, o saldo tem sido sempre tão positivo!
Não posso conter a alegria.
Duas famílias. Aqui e lá!
Duas casas. Aqui e lá!

É, realmente, não tenho o que temer...
Onde tudo é tão especial...




terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Changing

To be changed
transformed by Your Holy Spirit

He comes and makes us
new and renewed
He saves us:
restored and healed

I turn to You
I run to You
I surrender myself at your feet
Fool I was 'cause I did not want it, this gift, before

Oh, my Lord
I run to You
I humble myself in Your Presence
My Lord, my beloved One!

...
Very simple poem writen during a worship service on february 8th, 2010

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Quando se relacionar traz aprendizagem - Relato de uma caminhada

Quando foi que eu fiquei tão pequeno?
E passei a voar sobre as nuvens?

Quando amadureci e não percebi?
E passei a caminhar, na — mesmo que parcial — percepção, e total dependência de Deus?

Quando o mundo ficou tão igualmente pequeno?
E houve encontros e despedidas de lugares tão distintos e longínquos no mesmo espaço?


Foram vinte dias.
Queríamos que tivesse sido mais!
Estávamos, no que nomearam muito bem, em Nárnia. Nosso mundo de aprendizagem e irmandade. Talvez, longe do mundo real, em determinados momentos...
Dia nove de janeiro de 2010 estávamos quase todos lá, para ser justo.
A caminhada começou com algumas saudações, mas até aí não sabíamos que seria algo tão intenso e, antagonicamente ao que disse acima, verdadeiro.
Despimo-nos de nossas roupas antigas, meio sujas e cheias de julgo, para colocar uma mais limpa e mais adequada ao que tínhamos sido chamados ali para aprender.
Aprendizagem, como essa palavra é recorrente! Pois foi isso que aconteceu. Eu diria: Surpreendido pela aprendizagem, mais uma vez!
Caminhar ao lado de outros nem sempre é tão agradável. Enxergar neles erros que eu também cometo, irrita. Mas é bom, porque posso ser limpo junto com eles, se permanecemos caminhando juntos. Posso aprender com eles.
Éramos setenta e um no começo da jornada.
Os dias se sucederam, um sempre diferente do outro, apesar de conter elementos iguais aos dos dias anteriores. Percebíamos a nós mesmos e percebíamos a misericórdia, sempre se renovando... Sentíamos nosso Pai ali, tão pertinho de nós.
O louvor sempre vinha fresco sobre nossas almas sedentas.
E a Palavra tão suculenta para nos alimentar.
Algumas vezes, fiquei surpreso ao ver uns carregando e compartilhando as cargas dos outros. E depois, depositando todas elas ao pé do Humilde, que nos oferece um fardo leve.
Quando cansados, íamos a Ele. E nos dizia, sempre: _Vinde a mim... E Eu vos aliviarei.
Houve um momento em que nos separamos, para encontrarmos outros grupos e compartilharmos com eles o que estávamos vivendo.
Ah, mas foi tudo tão intenso!
Vi lágrimas e ouvi histórias que, com certeza, mudaram ainda mais minha percepção do ser humano que nascemos para ser.
Muitas vezes, sentimo-nos de mãos atadas, o que dizer? Mas o Consolador sempre estava lá. Socorrendo aos de espírito abatido e nos ensinando a depender do Altíssimo.
E como é bom ser consolado e guiado por Ele.
Não foi fácil chegar ao vigésimo dia e sair de Nárnia. Só saímos, porque temos a certeza de que Aslan continuaria conosco e ainda nos proporcionaria muitas outras aventuras.
Porque cada amizade feita, cada palavra recebida estarão em nossas memórias para serem revisitadas sempre que quisermos.
Alguns de meus companheiros, eu acompanharei de longe espacialmente, outros mais de perto. No entanto, tendo-os todos, igualmente, vivos em meu coração.


Um relato breve e subjetivo de meus dias no Instituto de Preparação de Líderes da ABU, ocorrido dos dias 09 a 29 de janeiro de 2010, na cidade de Campinas-SP.
Visite o site da ABUB: www.abub.org.br

Foto oficial dos participantes do IPL-2010

Eu não sabia...

Eu não sabia que as pessoas são tão importantes.
Que com seus gestos elas suplicam atenção!

Eu não sabia que o outro é mais importante do que eu.
E que devo amá-lo como a mim mesmo.

Se eu soubesse antes.
Teria amado mais!
Teria ganhado mais irmãos!

Ah, o outro!
Tão belo sorriso, tão caloroso abraço!

Agora que sei não quero perder nenhuma companhia sequer.
Ao lado delas caminhar.
Apoiar, chorar, abraçar...
Conversar, rir, sonhar junto...

Eu não sabia...
Não sabia que perceber o outro é também ganhar.
Ganhar AMOR, o mais belo dos sentimentos e dos presentes.



.Escrito ao voltar da parte prática do IPL (27/01/2010), quando percebi na 'prática' o significado e valor dessas palavras.

Entrega

Entrego...
Sim, eu entrego...
Como recusar?
Senhor, use o que tenho.
Não é muito, eu sei.
Mas a Ti, eu entrego.

Abandono e deixo para trás o julgo.
Não me esquecerei do presente.
Vivê-lo-ei!
As coisas que me prendiam,
Não queriam me deixar viver.
Largo, abandono-as.
Para chegar a Ti com o que somente é meu...
[parte verdadeira de mim...

Chego a Ti.
Deposito perante a Ti:
MEU SER
Sem Ti não poderia jamais...
Jamais querer viver...

.Escrito no primeiro dia do Instituto de Preparação de Líderes (IPL) realizado em Campinas-SP e promovido pela Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB).







terça-feira, 5 de janeiro de 2010