domingo, 26 de julho de 2009

Ensaio sobre um Vôo - CF 2009

Voar é muito bom, principalmente, quando se está acompanhado. Hoje percebo isso.
Em uma semana, do dia 18 a 25 de julho de 2009, para ser mais exato, passei por vários e diferentes lugares. No início, pensei que seria uma viagem bem desconfortável, por terras gélidas, áridas e esquecidas do meu coração. Pensei que faria essa viagem sozinho e ninguém estaria ali para me ajudar e oferecer uma mão amiga.

Quando cheguei ao ponto a partir do qual gostaria de iniciar minha viagem, logo percebi que as coisas não seriam como eu havia imaginado. Seria uma jornada diferente.
Encontrei companhia. Para minha surpresa, mais ou menos, outros 90 aprendizes de voadores. De início, senti-me desconfortável, acho que me acostumei com a idéia de ir sozinho, mas logo percebi que se não interagisse não conseguiria prosseguir.
Resolvi parar de ignorar as outras presenças. Misturei-me. Percebi que alguns eram mais simpáticos e acessíveis, enquanto outros eram mais como eu, bem sisudos e igualmente surpresos com aquela situação.
No primeiro dia, romper com minha casca não foi fácil. Não tinha asas ainda, teria de caminhar e me desgastar, a pé mesmo. Passei por lugares insalubres, pude sentir o respirar e o tremer dos que estavam junto comigo, nesses primeiros passos. Num dado momento, todos demos as mãos. Se não me engano, eu chorei com isso. As mãos amigas haviam chegado...
Daí em adiante não largamos mais nossas mãos. Caminhamos juntos em direção ao que chamaram de monte, para ouvirmos um belo sermão, ministrado pelo próprio dono do Universo. Foi quando a verdadeira viagem começou!
Passamos, dessa maneira, pelos terrenos egoístas e secos do orgulho, que insistem em nos fazer dar valor ao que não é importante e chegamos ao belo terreno da humildade, que deve ser uma prática constante. Passamos pelas torrentes revoltas das águas da injustiça – quase nos afogamos em nossa ignonímia – para desenvolvermos um caráter aos moldes do Criador, que é justo. O que nos levou às águas cristalinas e calmas da justiça que nos salvaram de nossa fraqueza. Ao bebermos dela, não nos contentamos mais com o que não é o certo. Passamos a responder Sim, sim ou não, não. Sem titubear ou dar chance ao que não é bom.
Não sei ao certo quando comecei a voar, mas isso aconteceu. E, ao contrário do que esperava, não estava voando com minhas próprias asas, mas sim com as asas do Espírito. Assim como eu, todos os outros, ainda de mãos dadas, estavam voando, não houve quem tenha ficado para trás. Passamos, então, das terras da independência e vingança para a da dependência e perdão, belas por sinal, nelas não há inverno! É sempre primavera, existem flores de todas as cores. Há esperança nelas...
Um momento de tensão foi quando chegamos aos terrenos das decisões. Ainda voando, tivemos um panorama do que nos aguardava. Poderíamos acolher as palavras de mudança que o Instrutor estava nos dando ou ignorá-las, escolhendo o caminho mais fácil.
Aterrissamos. Havia duas portas. Uma bem pequena, que só dava para passar um por vez, esse era o caminho difícil. Teríamos que separar nossas mãos. Outra larga, bonita. O mestre nos disse que a maior parece ser a melhor opção, mas é só engano; é a pequena que leva à Salvação.
Um por um, vi-os passar pela porta estreita. Ao passar por ela descobri que o passar era complicado, mas o caminho após ela, também o é, porém leva a paisagens maravilhosas de dependência. Questionei-me se não iríamos voar mais, não obtive respostas. O fato é que a experiência foi muito boa.
Alguém me disse que isso é só começo do resto da minha vida. Outro também me falou que o Pai tem muito mais aventuras. Aguardo-as ansioso! Voar foi ótimo! Mas o melhor mesmo foi quando realizei que estava sem chão e cansado, e o Pai, meu Aba Pai, colocou-me em seu colo. Ali, meus medos se foram. Certezas de provisão chegaram.
Não sei como foi com os outros, mas tenho convicção de que cada um caminha na mesma estrada que eu, a qual leva ao Alvo Maior.
A viagem continua. Empolgante. A etapa que vivemos dela fez-nos perceber o valor do próximo, da dependência, do perdão e da humildade. Todavia, é certo que ainda temos muito a viajar com nosso maior Guia. Ele tem muito a nos ensinar.

Eu O amo. Ele me ama. Eu canto para Ele, Ele canta para mim...
Deleito-me em Seu colo. Descanso e espero pelo que os olhos não viram e nem os ouvidos ouviram!
Vivo as grandes aventuras!
Junto do meu grande Amado, O Esperado de nossas almas!



- O CF é um curso de férias ministrado pela ABU (Aliança Bíblica Universitária) aos seus ativistas. Ele ocorreu durante os dias 18 a 25 de julho de 2009, na cidade de Viçosa - MG, para os integrantes da região Centro-Oeste, visando à capacitação de novos líderes. O texto faz menção a esse curso. Maiores informações no site: http://www.abub.org.br/


- Obrigado a todos que estiveram lá e agora carregam parte mim! Lá fiz amizades maravilhosas. Um grande abraço a todos. Continuem firmes na obra. O CF foi só o começo! Há muito que fazer para implantação plena do Reino de Deus. Continuem firmes!
- Obrigado a Larissa Pizetta (http://laripizetta.blogspot.com/), amiga escritora e poetisa, por corrigir e aconselhar-me, ajudando-me a dar o meu melhor nesse texto. Obrigado, Lérrice! Você foi um bálsamo para as minhas inquietações acerca desse texto.

15 comentários:

Rebecca disse...

Muito legal seu texto Ronni!!! Realmente foi uma experiência incrível!

Rebeca disse...

Este texto falou perfeitamente da experiência de um todo; um grupo de pessoas tão diferentes, que possuem um elo familiar comum: Jesus. Ele verdadeiramente é nosso Guia, nosso Instrutor em todos os momentos da vida - nosso Pastor.
Muito bom Ronni! Q Deus continue te inspirando

amielarissa disse...

Muito bom seu texto Ronni!
Nessa experiência,aprendemos a silenciar,encontrar conosmo mesmo,conhecemos pessoas que serão companhia para toda a caminhada!Foi um recomeço mesmo!
Que continuemos a digerir todo esse tesouro!E que você continue a expressar com tanto zelo suas impressões e experiências.

Raoni Alencar disse...

Lindo tudo isso Ronni, cada experiencia, cada momento, cada amizade, acredito que foi unico, o modo como vc expressou tudo que viveu faz com que a gente sinta que ta la com vc. Amo a maneira que vc escreve.
Que o Senhor continue a de abençoar te dando cada vez mais experiencias como essa.

Elisângela disse...

Muito bom esse texto Ronni, Deus abençoe.....

Anônimo disse...

Ronni, imaginei como foram maravilhosos seus momentoas lah!
é mtu bom realizar a obra de Deus!
que Deua continue te encorajando cada vez mais para comprir seu chamado!
te amooo mtu
aprendo mtu com vc!
beeijO
Bel!

Crislaine disse...

Quero voar mais alto, que ter mais experiências com Deus

paulinha disse...

Voar nas asas do Espírito... Isso é tremendo!!! Deus é especialista em nos fazer ter experiências inesquecíveis... Voe, voe, voe cada vez mais alto!!! Te amoooo...

Paulinha

Rafaela disse...

Ah Ronni, cm vc escreveu bem! Exatamente td que eu passei e queria dizer, mas não conseguia traduzir em palavras! Fica na Paz!

Sarah disse...

Parabéns pelo seu texto Ronni, ficou lindo!
Realmente a experiencia do CF vai nos deixar marcados! foram dias incriveis onde passamos por uma fase de amadurecimento, crescimento,aprendizado! e foi maravilhoso poder compartilhar esses momentos com pessoas incriveis como vc mesmo disse "os voadores" como é bom voar nas asas do espirito. Deus abençoe

Tábata Mori disse...

Olá Ronni,

Eu também já pensei que muitas vezes eu queria ir sozinha... que assim seria melhor. E, assim como o CF mostrou a você, outras experiências mostraram para mim que é maravilhoso ter companhia.

Que Deus nos abençoe e nos dê a graça da união... em céu, em terra, em mar.

Beijos,

lucas rolim menezes disse...

Pude contemplar um pouco do seu vôo e fiquei feliz de te ver nas alturas... deu um pouquinho de inveja em mim, confesso, ao ver aquele bando de mãos dadas indo além do que poderiam imaginar, por ter o Grande Espírito aberto os céus para tão emocionante experiência.
Mas é engraçado como são as coisas: apesar de menos emocionante, há beleza na caminhada entres as pedras, e na esperança que se tem de, ao olhar o céu e aqueles que nele voam, perceber que há tempo para tudo (inclusive tempo para andar e para voar).
Delicioso saber do seu tempo de voar. Desejo mais tempos desses pra você. Mas não se esqueça de que há nobreza no tempo de caminhar e, por mais trabalhoso que seja, o Grande Espírito estará nos ajudando a não tropeçar nas pedras do meio do caminho. E, claro, os amigos serão sempre um auxílio durante a caminhada.

Abraços fraternos!

Muito bom seu texto!!

Guilherme disse...

Cara, q texto ótimo.
Sabe, estou ansiando por essas paisagens abertas, pela brisa no resto,pelaliberdade... agradeço a vc por td. Estou confiante agora, é incrível.
Lindo o texto e me avise sempre q atualizar aqui.
=D

Larissa Pizetta disse...

amigo Ronni...o que eu tenho a dizer desse lindo derramar de palavras? é de Deus isso...é o que vc precisava, o que nós, seus amigos-leitores precisávamos...vc voou bem alto, ainda vai voar mais alto e vai estar mais e mais perto de Deus!
Continue escrevendo essas palavras quem vem do seu ♥!
Lérrice.

Paixão, M. disse...

Ei Ron!

Que belo texto! Você tem uma habilidade notável com a palavras... e sua preocupação e cuidade com elas só vai fazer você escrever cada vez mais bonito (se é que é possível).

Encontrei a Cris ontem e falamos sobre você. Ela me disse que você perguntou sobre o livro. Claro que eu iria me lembrar de você! rs... oras! Estamos começando a divulgar tudo agora. Dê uma olhadinha lá no meu blog que coloquei o convite lá.

Vou ficar muito feliz com sua presença. Beijos!!