domingo, 26 de julho de 2009

Ensaio sobre um Vôo - CF 2009

Voar é muito bom, principalmente, quando se está acompanhado. Hoje percebo isso.
Em uma semana, do dia 18 a 25 de julho de 2009, para ser mais exato, passei por vários e diferentes lugares. No início, pensei que seria uma viagem bem desconfortável, por terras gélidas, áridas e esquecidas do meu coração. Pensei que faria essa viagem sozinho e ninguém estaria ali para me ajudar e oferecer uma mão amiga.

Quando cheguei ao ponto a partir do qual gostaria de iniciar minha viagem, logo percebi que as coisas não seriam como eu havia imaginado. Seria uma jornada diferente.
Encontrei companhia. Para minha surpresa, mais ou menos, outros 90 aprendizes de voadores. De início, senti-me desconfortável, acho que me acostumei com a idéia de ir sozinho, mas logo percebi que se não interagisse não conseguiria prosseguir.
Resolvi parar de ignorar as outras presenças. Misturei-me. Percebi que alguns eram mais simpáticos e acessíveis, enquanto outros eram mais como eu, bem sisudos e igualmente surpresos com aquela situação.
No primeiro dia, romper com minha casca não foi fácil. Não tinha asas ainda, teria de caminhar e me desgastar, a pé mesmo. Passei por lugares insalubres, pude sentir o respirar e o tremer dos que estavam junto comigo, nesses primeiros passos. Num dado momento, todos demos as mãos. Se não me engano, eu chorei com isso. As mãos amigas haviam chegado...
Daí em adiante não largamos mais nossas mãos. Caminhamos juntos em direção ao que chamaram de monte, para ouvirmos um belo sermão, ministrado pelo próprio dono do Universo. Foi quando a verdadeira viagem começou!
Passamos, dessa maneira, pelos terrenos egoístas e secos do orgulho, que insistem em nos fazer dar valor ao que não é importante e chegamos ao belo terreno da humildade, que deve ser uma prática constante. Passamos pelas torrentes revoltas das águas da injustiça – quase nos afogamos em nossa ignonímia – para desenvolvermos um caráter aos moldes do Criador, que é justo. O que nos levou às águas cristalinas e calmas da justiça que nos salvaram de nossa fraqueza. Ao bebermos dela, não nos contentamos mais com o que não é o certo. Passamos a responder Sim, sim ou não, não. Sem titubear ou dar chance ao que não é bom.
Não sei ao certo quando comecei a voar, mas isso aconteceu. E, ao contrário do que esperava, não estava voando com minhas próprias asas, mas sim com as asas do Espírito. Assim como eu, todos os outros, ainda de mãos dadas, estavam voando, não houve quem tenha ficado para trás. Passamos, então, das terras da independência e vingança para a da dependência e perdão, belas por sinal, nelas não há inverno! É sempre primavera, existem flores de todas as cores. Há esperança nelas...
Um momento de tensão foi quando chegamos aos terrenos das decisões. Ainda voando, tivemos um panorama do que nos aguardava. Poderíamos acolher as palavras de mudança que o Instrutor estava nos dando ou ignorá-las, escolhendo o caminho mais fácil.
Aterrissamos. Havia duas portas. Uma bem pequena, que só dava para passar um por vez, esse era o caminho difícil. Teríamos que separar nossas mãos. Outra larga, bonita. O mestre nos disse que a maior parece ser a melhor opção, mas é só engano; é a pequena que leva à Salvação.
Um por um, vi-os passar pela porta estreita. Ao passar por ela descobri que o passar era complicado, mas o caminho após ela, também o é, porém leva a paisagens maravilhosas de dependência. Questionei-me se não iríamos voar mais, não obtive respostas. O fato é que a experiência foi muito boa.
Alguém me disse que isso é só começo do resto da minha vida. Outro também me falou que o Pai tem muito mais aventuras. Aguardo-as ansioso! Voar foi ótimo! Mas o melhor mesmo foi quando realizei que estava sem chão e cansado, e o Pai, meu Aba Pai, colocou-me em seu colo. Ali, meus medos se foram. Certezas de provisão chegaram.
Não sei como foi com os outros, mas tenho convicção de que cada um caminha na mesma estrada que eu, a qual leva ao Alvo Maior.
A viagem continua. Empolgante. A etapa que vivemos dela fez-nos perceber o valor do próximo, da dependência, do perdão e da humildade. Todavia, é certo que ainda temos muito a viajar com nosso maior Guia. Ele tem muito a nos ensinar.

Eu O amo. Ele me ama. Eu canto para Ele, Ele canta para mim...
Deleito-me em Seu colo. Descanso e espero pelo que os olhos não viram e nem os ouvidos ouviram!
Vivo as grandes aventuras!
Junto do meu grande Amado, O Esperado de nossas almas!



- O CF é um curso de férias ministrado pela ABU (Aliança Bíblica Universitária) aos seus ativistas. Ele ocorreu durante os dias 18 a 25 de julho de 2009, na cidade de Viçosa - MG, para os integrantes da região Centro-Oeste, visando à capacitação de novos líderes. O texto faz menção a esse curso. Maiores informações no site: http://www.abub.org.br/


- Obrigado a todos que estiveram lá e agora carregam parte mim! Lá fiz amizades maravilhosas. Um grande abraço a todos. Continuem firmes na obra. O CF foi só o começo! Há muito que fazer para implantação plena do Reino de Deus. Continuem firmes!
- Obrigado a Larissa Pizetta (http://laripizetta.blogspot.com/), amiga escritora e poetisa, por corrigir e aconselhar-me, ajudando-me a dar o meu melhor nesse texto. Obrigado, Lérrice! Você foi um bálsamo para as minhas inquietações acerca desse texto.

Aprendizado

Não gosto de me sentir frágil. Não gosto que outras pessoas notem minha fragilidade.
Não gosto de me expor, mostrando minhas feridas. Apesar de, não raras vezes, não conseguir mantê-las discretas.

Todavia aprendi que...
Ser fraco é ser forte!
Admitir minha fragilidade é abrir a porta para mudanças e para a liberdade.
Não mais amarras.

Aprendi que...
Estar triste e chorar não me torna menor, mas sim humano.
E eu quero minha humanidade por completo!

Eu gosto de ajudar! Gosto de dar conselho! Gosto de ouvir, de ser o forte!

Porém aprendi que...
É muito bom compartilhar minhas lutas e medos com outros, despojando-me de minhas falsas máscaras de onipotência.
Ser totalmente sincero sobre minhas fragilidades com outros é perceber meus erros, mas não me conformar com eles; é poder enfrentá-los corajosamente, só que não mais sozinho.

Relacionar, cativar e ser cativado...
Deixar que levem parte de mim e concordar em carregar parte dos outros.

Crescer.
Caminhar.
Lado a lado com meus irmãos crescer e caminhar.

Saber.
Aceitar.
Saber que é na fraqueza do meu ser que Deus manifesta o Seu poder.
Aceitar que eu tenho esse tesouro em vasos de barro para que a excelência do poder seja de Deus e não minha.

Sou fraco. Pequeno.
Preciso de ajuda.
Não me envergonho de confessar isso.

Hosana!
(Salva agora, Senhor!)
Eu preciso.

*Foto de Edson Munck (http://www.munckjr.blogspot.com/)

.Por Ronni Anderson, durante o CF 2009 - ABU Centro-Oeste, no dia 25/07/09, enquanto ouvia as doces palavras do Rev. Elben César!

Silêncio Reflexivo

No silêncio eu percebo.
No silêncio eu recebo.

Percebo o que antes queria omitir, mas que agora quero tratar.
Recebo cura para as minhas inquietações.

Quando tudo o mais se cala,
Quando emudeço minha voz,
O meu interior grita, o meu coração persisti em não se calar.

Aos poucos, consigo, então, calar todas as outras vozes que insistem em querer me dominar.
Calo o meu coração!
Silencio a minha mente.

Nisso, ah, eu recebo!
... Recebo maior percepção da minha alma, seus pesares e anseios.
... Recebo clareza de espírito e certeza de caminho.

Porque no meu silêncio, deixo o meu ‘eu’ vazio, para ser completo pelo o que realmente importa:
JESUS!


Por Ronni Anderson, durante o CF 2009 – ABU Centro-Oeste, na fria noite de quinta-feira, dia 23/07/09.

...
Nota: Escrito numa noite difícil, cheia de dores, pesares, choros e sentimentos de solidão. Quando realmente necessitava silenciar minha mente para descansar no colo do Pai. Quando não via perspectivas, apesar de já tê-las encontrado. Aos poucos, fui trazendo a memória o que tinha vivido até ali, e o Consolador levou-me às cenas do silêncio, onde e quando sou totalmente preenchido e o medo e a solidão não existem mais. Apenas a solitude e a plenitude estão lá presentes.
...

*Foto de Edson Munck (http://www.munckjr.blogspot.com/)