segunda-feira, 29 de junho de 2009

Imortais

Vivo intensamente. Ou, pelo menos, tento.
Meus amigos me ajudam a fazer isso.
São eles que me fazem rir, são eles que me tiram da solidão.
Eles são: Amandas, Cristianas, Julias, Crislaines, Carolines, Thiagos, Joãos, Filipes, Lucas', Edsons, Danielas, Tamires', Donnas, Diegos, Raonis, Guilhermes, Renatas, Angelas, Elisas, Isabéis, Gabrielas, Adrianas, Albertos, Larissas, Marias e Marias...
Muitos e muitos...
Perigoso citá-los diretamente, porque posso cometer o sacrilégio de esquecer de algum.
Mas o fato é que todos estão em minha memória e, mais, em meu coração.
Quando sorri, se não com eles, queria ter sorrido ao lado deles.
Quando chorei, se só, queria muito ter tido o abraço e a atenção deles.
Amigos, Amigos...
A epizeuxe me ajuda a expressar a minha alegria pelos que estão comigo e o meu pesar pelos que não estão comigo no mesmo espaço.
Não no mesmo espaço, porém em minha memória e coração!
[Já disse isso! Mas é bom reforçar!]

Eles fazem muito por mim.
E eu por eles?
Talvez não tanto quanto ou na medida que deveria para retribuir à altura.
Eu? Só posso ser egoísta e não querer que eles se afastem de mim.
Não queria que nenhum deles se fosse.
Queria jamais perdê-los.
Amo a todos.
Queria que fossem imortais.
Não queria viver ou prosseguir com o vazio da ausência de algum.
Queria ser imortal.
Queria que fôssemos imortais!
...Para que continuássemos vivendo bons e adoráveis momentos juntos!



/Uma homenagem aos mortais, mas permanentes alvos de meu afeto: amigos, de perto e de longe!
//Os nomes acima são ilustrativos, é muito grande a probabilidade de que pensei em você, caro-leitor-visitante-amigo, quando escrevi esses nomes. Sinta-se, então, homenageado! Todavia esses também são: Amaurys, Priscilas, Jorgianes, Saras, Mateus, Taianes, Patrícias, Milenas, Terezinhas, Leydianes, Lívias, Marlenes, Rafaels, Douglas', Paulas, Brunos, Andréias, Paulos, Sandras, Rodolfos, Lorenas, Armindas, Suelis, Luízas, Laízas, Charles' e infinitos outros que posso pensar, os quais compõem, compuseram e, quem sabe, comporão a história da minha vida.
///A você que um dia se aproximou e não desistiu de mim (permaneceu!): Meu Obrigado, Atenção, Sorriso! Aos que não, um Bem-Vindo! cabe muito bem! Espero você nas esquinas da vida para chorarmos e rirmos e vivermos e convivermos!

sábado, 13 de junho de 2009

Carta-Poema


.

Tu sabes, oh Deus...
Tu vales tanto para mim!
Jamais quererei me afastar de Ti...

É grande, inexplicável Teu amor por mim...
Às vezes, sinto-me longe de Ti,
Mas, oh Pai, eu sei que mesmo que queira me afastar,
Permaneces fiel...
Disposto a me abraçar!

E eu aceito esse abraço!
Desejo nele me perder, para me achar em Ti.
Perdoa, se algum dia, eu o recusei.

Mas eu Te quero tanto...
Teu infinito me completa...
Teu colo e mão me amparam!
Jamais quero me afastar de Ti...
Não! Não mais!
Se algum dia eu o quis foi porque, Senhor, não entendia...

Não entendia, não percebia...
Mas hoje entendo que Tu me amaste muito e muito...
Percebo Teu amor...

E digo sim, quantas vezes forem necessárias...
Sim, Senhor, eu aceito ser amado e abraçado por Ti!

Eu me esvazio, Senhor!
Para ser cheio, preenchido por Ti.

.
.
.

/Agradeço a Anja pelo apoio... Esmeralda! E por me ajudar a cair em mim e a destilar nesse texto meu mais puro amor!

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Eu me esvazio, Senhor!

Tenho a sensação de que tudo o que poderia dizer ou escrever já foi melhor escrito ou dito por alguém.
Assim, vejo-me de mãos atadas.
O que dizer?
O que escrever?
(Para aonde irei?)

É certo que, se não posso dizer, eu consigo gritar!
E que se não posso escrever, posso desenhar!
Mas volto ao dilema anterior, porque muitos podem gritar ou desenhar com melhor maestria do que eu.
E isso também é certo!

Sinto-me, então, sufocado!
(Para onde me ausentarei?)

Poderia conversar com alguém e com essa pessoa desabafar todos os meus pesares.
[E mesmo assim não estaria sendo original, pois com 100% de chance omitiria detalhes importantes e não mostraria meu real "eu"]
(Só Tu tens as Palavras de Vida Eterna)

"Quando não posso sentir...
Quando minhas feridas não se curam...
Lord, I humbly kneel (Senhor, eu humildemente me ajoelho)
Escondido em Ti
Senhor, Tu és minha vida..." [Dennis Jernigan]


...Porque Dennis disse o que eu gostaria de dizer, ou melhor - mais belo - ele cantou!

"Ah, se eu pudesse me sentar e conversar contigo, Senhor!
Sem máscaras eu conversaria.
E não seria mais tocado por inconstâncias.
Senhor, eu preciso de Ti, agora!
Mais do que eu sei como.

Ah, se eu pudesse me sentar contigo, agora.
Se Tu pudesses me segurar em Teu colo.
Nada poderia me tocar
Embora eu esteja ferido. (...)

Ah, se eu pudesse...
Momento a momento até a eternidade chegar!"


/// [Trecho da música: " If I could just sit with You awhile" do cantor Dennis Jernigan ampliada e traduzida por mim]
// [Texto meu, complementado por essa bela música, apesar de achar que nem o texto é meu!]
/[Por fim, sem ressentimentos, Dennis. Só posso, ah! isso eu posso, dizer: _Obrigado!]

.
.
.

(If I could just sit with You awhile
...Moment by moment, ‘til forever passes by)