sexta-feira, 20 de março de 2009

Do (subjetivo e, por vezes, confuso) quarto 6

Cheguei há, exatamente, duas semanas e três dias, contando apenas até a data presente da escrita desse texto!

Os dias por aqui parecem meses. Meses de aprendizado e crescimento. Não poucos já devem ter dito isso, mas para mim soa tão íntimo que ouço usar essas palavras de maneira tal que quando as pronuncio elas ficam ecoando em minha mente e coração por alguns minutos a mais após tê-las falado e, o outro, ouvido. Para o próximo elas já passaram, porém para mim elas ainda se fazem presentes, mesmo já tendo mudado de assunto.


Meses, meses, meses...

Aprendizado, aprendizado, aprendizado...

Crescimento, crescimento, crescimento...

Tempo, tempo, tempo...


Vivo-as! E ordená-las talvez seja difícil, porque todas se passam juntas, entrelaçadas, no mesmo trem da plenitude 'incompleta'.


Marcas em mim têm se formado desse tempo grande, mas, em comparação com outros, tão pequeno.

Tantas amizades e acolhimento recebi que mal os posso segurar. São maiores, assim como o tempo. Amizades de infância construídas em um só olhar, aperto de mão, um abraço ou, ainda, em uma só palavra!

A saudade é suportada, o choro é segurado por causa desses que empregam um pouco do seu olhar, aperto de mão, abraço ou palavra para trazer em mim descanso e segurança.


A vida segue seu curso, mas também revela agradáveis surpresas.

Guardei o que me disseram antes de minha chegada: Sê forte e corajoso! Não Temas!

Descobri que não preciso temer... (PAUSA)

Todavia, foi na prática que eu encontrei a coragem!

Fui ou vim. Cheguei. Sobrevivi ao primeiro impacto da solidão, ao segundo, ao terceiro... Nas mínimas coisas, passo após passo, tarefa após tarefa, lágrima após lágrima.


Apoios que jamais esquecerei me ajudaram nesse começo de minha nova jornada. A cada gesto, mesmo que mínimo, eu sou grato. Uma mensagem de celular, um olhar amigável, uma mão estendida, uma palavra de boas-vindas, um comunicado de algum evento, um sorriso...

A alguns ainda agradecerei quem sabe aqui, onde agora resido, em meu quarto número 6, do prédio número 30.

2 comentários:

Letícia Pedroza disse...

amigo talentoso!
Glória e Honra ao Cristo por sua vida. Aprendo bastante com você!
AMIZADE EDIFICANTE!
Fortaleza em meio a BATALHA eh Cristo *.*

amo-te, amiguinho

Bárbara Matias disse...

Ei Ronni!

Adorei seu blog!

Consegui, ver neste texto, o que vc sentiu desde que chegou aqui! E, mais que isto, revi sentimentos que tb vivi. =)

Mto bom!
Bjim!